Gaia Responde: TOP 5 Perguntas Frequentes na Saboaria Artesanal

Gaia Responde: TOP 5 Perguntas Frequentes na Saboaria Artesanal

11 de novembro, 2021 0 Por nilvania

A Oficina de Gaia, sempre atenta em atender bens seus alunos e alunas, criou o quadro GAIA RESPONDE, onde a idealizadora do curso Nill Amorim, responde pessoalmente as principais dúvidas que chegam diariamente até ela.

Nesse maravilhoso universo da saboaria artesanal, é normal surgirem muitas dúvidas, principalmente no início, até porque a grande maioria das pessoas não têm nenhuma ideia de como realmente funciona a arte de criar sabonetes e vários outros cosméticos, sendo necessário, portanto, uma atenção especial às novas alunas e alunos e também quem ainda não faz parte da família de sabeiros artesanais, mas que se identificam e buscam tirar algumas dúvidas antes mesmo de iniciarem nessa arte milenar, fascinante e deliciosa.

Nesse sentido, separamos inicialmente as TOP cinco perguntas mais pedidas em nossos canais de suporte, (e-mail, Instagram e Plataforma), são elas:

DÚVIDA 1 – Qual a panela ideal para derretimento da base?

R: A panela ideal para derreter a glicerina é, sem dúvidas, a panela esmaltada, ou de ágata, pois não deixa resíduos, não libera toxinas, é fácil de limpar e não permanece em aquecimento após o desligamento da fonte de calor.

Diferente de outros tipos de panelas como de vidro, por exemplo que mesmo após desligado o fogão permanece cozinhando, (isso mesmo, cozinhando), além de formar gotículas de água, então não serve para quem quer ter o controle da temperatura como no caso do derretimento de base glicerinada. O mesmo acontecendo com as panelas de cerâmica, que por suas características queimam facilmente a base glicerinada, assim como os alimentos.

Sugerimos sempre as panelas de 1,5 litros ou mais, pois nesse tamanho é possível derreter até 1kg de glicerina com segurança.

Também é possível utilizar panelas de aço inox, de preferência às que têm fundo triplo, pois distribuem de forma mais homogênea o calor, protegendo assim a glicerina do super aquecimento, mas, atentem para não confundir com as panelas de alumínio, porque essas panelas liberam muitos resíduos do alumínio que vão se misturar e até reagirem com os  produtos que utilizamos na saboaria, portanto, nem pensar em utilizar panelas de alumínio!!

As panelas de uma forma geral tanto esmaltadas como de Aço Inox são facilmente encontradas em lojas de eletrodomésticos, lojas do ramo da saboaria, na internet no mercado livre, shopee etc.

 

                      

DÚVIDA 2 – Qual a melhor forma para derretimento da glicerina??

R: A melhor e mais segura forma de derreter a glicerina é utilizando o fogão elétrico, de preferência com controle de temperatura e com a resistência blindada. Esse tipo é o mais indicado porque é muito mais seguro caso ocorra algum acidente ou derramamento de ingrediente sobre o fogão, diminuindo em muito a chance de propagação de fogo.

Esses cuidados são importantes para quem apenas quer derreter glicerina. bem como para quem produz velas, ou ainda faz a sua própria base, onde é extremamente necessário um cuidado maior com chama aparente.

Outro fator importante no fogão elétrico é o controle de temperatura, com ele fica muito mais fácil o processo de derretimento da glicerina, porque assim podemos controlar de forma mais eficiente a temperatura do calor que precisamos. Podemos iniciar de forma mais branda no início do derretimento e ir aumentando aos poucos e depois diminuir novamente.

Esse controle é extremamente importante quando queremos derreter novamente algum sabonete que já está pronto, onde a temperatura deve ser a mínima possível para não comprometer as qualidades do sabonete. Controle de temperatura é fundamental.

Alternativamente, como segunda opção, temos o derretimento em banho maria, que também poderá ser utilizado para quem não possua ainda o fogão elétrico.

Esse método apesar de funcionar, não deixando sua glicerina “fritar” ou ferver, exige muito mais cuidado, que com o fogão elétrico, pois vamos estar trabalhando com água quente que produz vapores e que podem se misturar na sua base, interferindo na composição e contaminando-a. Então, o banho maria é aceitável mas não é o ideal!

Por outro lado, nunca utilizem o forno de micro-ondas para derreter sua glicerina. O micro-ondas aquece de forma desigual, ou seja, aquece por fora primeiro e sempre no mesmo ponto, e com certeza você vai “fritar” sua glicerina. O mesmo acontecendo com o fogão normal de chamas, onde o calor fica concentrado no centro da panela, aquecendo de forma desigual sua base, diferente do fogãozinho elétrico que pega toda a base da panela, derretendo a glicerina de forma homogênea.

Esse é o meu fogão atual

Esse é o meu fogão atual

DÚVIDA 3 – Posso derreter novamente o sabonete depois de pronto?

R: Algumas vezes o nosso sabonete não deu muito certo, ou então você não gostou muito do aspecto que ele ficou.
Nesses casos, podemos sim derreter novamente o sabonete, porém, devemos ter um cuidado redobrado para derreter a glicerina, porque primeiramente ela já vai estar misturada com os aditivos (óleos essenciais, essências, extratos) e o aquecimento excessivo  faz com que parte das propriedades desses aditivos se percam e às vezes se houver um super aquecimento podeos perdee todas as propriedades.

O ideal é cortar o sabonete e derreter no fogão elétrico na temperatura mínima. Não descuidar e assim que ele derreter é preciso desligar o fogão. Sugerimos também acrescentar 10% dos aditivos que você usou na fabricação do sabonete, pois, ainda que derretido em temperatura amena, possivelmente se perdeu algumas das propriedades desses aditivos. Seguindo essas dicas você poderá derreter seu sabonete e enformar de novo.

DÚVIDA 4 – Qual a durabilidade do sabonete no banho?

R: A primeira coisa que temos que ter em mente ao fazer esse questionamento é saber que existe uma diferença enorme entre os sabonetes artesanais glicerinados e os sabonetes de mercado produzidos na indústria.

Esses últimos têm uma durabilidade muito maior devido a quantidade de substâncias químicas, conservantes e estabilizante usados. São produzidos em larga escala e por isso necessitam durar muito mais. Porém, não são feitos com produtos nobres como os sabonetes artesanais a base de glicerina.

A glicerina por si só é mais delicada e se deixada na umidade ou no calor ela vai derreter, diminuindo assim a durabilidade do sabonete. Porém, a maior causa de pouca durabilidade dos sabonetes artesanais glicerinados é realmente o mal uso, ou mal armazenamento.

As vezes ouço pessoas reclamarem que os sabonetes duraram 3 ou 4 dias, mas sabemos que isso só pode ter sido por descuido. Evidente que você não pode tomar banho com um sabonete nobre e utilizá-lo como uma esponja esfregando-o sem parar pelo corpo embaixo do chuveiro por longos períodos.

Outro fator que se deve levar em consideração é a temperatura da água, uma água muito quente certamente vai consumir muito mais rápido o sabonete glicerinado.

O ideal é que utilizemos os sabonetes de forma correta deixando agir sobre o corpo por alguns instantes antes do enxague, assim você pode aproveitar as benesses dos aditivos como óleos essenciais, extratos vegetais e outros ingredientes terapêutico utilizado. 

Da mesma forma, devemos observar como estamos armazenando o sabonete. Ora, se você após fazer uso do seu sabonete deixa-lo em ambiente muito úmido, com saboneteira cheia d’água por exemplo, ele vai durar menos que você imagina. O correto é após o uso, armazená-lo em local seco e de preferência uma saboneteira fechada e se possível fora do banheiro, evitando assim contato excessivo com a umidade.

Evitem o compartilhamento desse tipo de sabonete, sobretudo os terapêuticos (sabonetes íntimos, sabonetes faciais, sabonetes de argila), eles devem ser pessoais.

Portanto, repense seu modo de usar o sabonete, tenha em mente que não se trata do mesmo produto qu você compra no mercado e utiliza de qualquer jeito.

DÚVIDA 5 – Qual a validade dos sabonetes?

R: Os sabonetes artesanais têm em média uma durabilidade de 6 meses, isso devido aos aditivos utilizados na fabricação dos mesmos, como óleos essenciais, por exemplo. Sabemos que os óleos essenciais são muito voláteis e evaporam assim que você tira dos vidros originais.

O mesmo acontece com as essências, os corantes, os extratos que vão perdendo suas potencialidades de ação com o passar do tempo. Então, quanto mais novo o sabonete mais benefícios você vai aproveitar.

Por isso sugerimos sempre a utilização em até 6 meses, para uma segurança que a combinação de todos esses ingredientes não vá expirar, ou seja estarão agindo em seu máximo potencial.

Isso não quer dizer que você vai perder seus sabonetes se eles vencerem o prazo de 6 meses. Recomendamos que não se comercialize esses sabonetes se já alcançaram esse prazo. Mas você pode utilizá-los para uso próprio, porque em verdade, os ingredientes não vão estragar, o que ocorre que é que eles perderão peso com a evaporação de alguns componentes, o potencial terapêutico vai diminuir, vai perder um pouco (ou muito) do cheiro.

Por isso recomendamos a fabricação de quantidades pequenas e sob encomendas dos seus sabonetes para que você possa usufruir de forma adequada todos os benefícios que eles nos proporcionam.

 

Você pode acompanhar em vídeo também as respostas para estas dúvidas com a Nill Amorim